Make your own free website on Tripod.com
Filmes Quentin Tarantino

“kQueima.jpg” Amor a Queima Roupa No dia do seu aniversário, Clarence Worley (Christian Slater) recebe um presente muito especial: passar a noite com a prostituta debutante Alabama (Patrícia Arquette). Os dois acabam se apaixonando e decidem começar uma vida nova juntos. Mas primeiro, precisam enfrentar o cafetão Drexl (Gary Oldman), um traficante "barra-pesada" de quem roubam, por engano, uma mala com meio milhão de dólares em cocaína pura. O casal resolve ficar com a droga e parte para Los Angeles para tentar vendê-la e fugir com o dinheiro. Perseguidos pela máfia, Clarence e Alabama avançam a toda velocidade em direção a uma armadilha da polícia. Envolvidos em um turbilhão de violência e morte, sua única chance de sobreviver é acreditar em seus instintos e abrir o seu caminho à bala. Escrito por Quentin Tarantino (Pulp Fiction), Amor à Queima-Roupa mostra de maneira radical uma encarnação contemporânea do sonho americano. Tony Scott (Top Gun) dirige um elenco magistral numa aventura de perder o fôlego.
“Assassinos.jpg” Assassinos por Natureza A história mostra o casal de assassinos Mick e Mallory, glorificados por ambicioso repórter que faz da dupla verdadeiras celebridades junto ao público. Trabalho audacioso e perturbador do diretor Oliver Stone, que cria uma corrosiva crítica à violência e à obsessão da mídia. Intensas interpretações de todo o elenco, com destaque para Woody Harrelson e Juliette Lewis como o casal de serial killers. A trilha sonora é embalada, ao mesmo tempo, pelo rock pesado e barulhento de Nine Inch Nails e Rage Against the Machine, ou pela suavidade da voz de Leonard Cohen. Atenção para as faixas ''These Boots Are Made for Walking'' e ''Born Bad'', na voz de Juliette Lewis.
“CaesDeAluguel.jpg” Cães De Aluguel Joe Cabot (Lawrence Tierney), um experiente criminoso, reuniu seis bandidos para um grande roubo de diamantes, mas estes seis homens não sabem nada um sobre os outros e cada um utiliza uma cor como codinome.Porém durante o assalto algo ao saiu errado, pois diversos policiais esperavam no local. Mr. White (Harvey Keitel) levou Mr. Orange (Tim Roth), que na fuga levou um tiro na barriga e morrerá se não tiver logo atendimento médico, para o armazém onde tinha sido combinado que todos se encontrassem. Logo depois chegou Mr. Pink (Steve Buscemi), que está certo que um deles é um policial disfarçado e eles precisam descobrir quem os traiu.Em um clima de acusações mútuas a situação fica cada vez mais insustentável.
“CSI7palmos.jpg” CSI: Perigo A Sete Palmos - Edição Especial Quentin Tarantino (1 DVD); Um dos maiores diretores de cinema da atualidade. A série de TV mais badalada do momento. Foi esta combinação explosiva que trouxe o cineasta Quentin Tarantino (de Kill Bill e Pulp Fiction - Tempo de Violência) para Perigo a Sete Palmos, o tão comentado e elogiado episódio final da quinta temporada de CSI! Fã confesso do seriado, Tarantino contou uma fantástica história neste capítulo de duas horas, recheado de suas marcas características.Prepare-se para uma trama tensa e eletrizante, cheia de referências, flashbacks e alucinações - com direito até a um dos agentes sendo seqüestrado e cruelmente enterrado vivo por um misterioso vilão! Um item indispensável, que todo fã de Tarantino e todo colecionador de CSI obrigatoriamente precisa ver em casa!;
“JackieBrown.jpg” Jackie Brown Comissária de bordo trafica dinheiro para os EUA, a mando de um vendedor de armas. Quando dois policiais oferecem um acordo para que ela entregue o bandido, a mulher decide dar a volta em todos os envolvidos, com um olho na liberdade e outro numa mala cheia de dinheiro. Baseado em romance de Elmore Leonard.
“KillBill1.jpg” Kill Bill - Volume I Depois de cerca de seis anos de silêncio, o cineasta Quentin Tarantino voltou à ativa com este surpreendente primeiro volume sobre a complexa vingança conduzida por A Noiva (Uma Thurman), também conhecida como Black Mamba, uma assassina de elite que trabalhava para Bill até o dia em que este e seus outros capangas chacinaram todos os convidados de sua cerimônia de casamento, deixando-a para trás viva, mas em coma. Traída em seu orgulho e em sua integridade física, A Noiva só acorda do coma cinco anos depois e parte para a vingança sumária, começando pela ex-comparsa Vernita Green, partindo depois para a China atrás de O-Ren Ishii (Lucy Liu). O roteiro do próprio Tarantino parte de alguns dos clichês básicos dos mais tradicionais filmes de kung-fu e bang-bang para realizar uma obra de e para cinéfilos. Kill Bill respira a cultura e a referência cinematográfica em todos os seus quadros por segundo. Cada mirabolante cena de luta, trecho musical da trilha sonora, fragmento de diálogos ou ângulos e tomadas de câmera: tudo têm algum significado e/ou remete a algum filme clássico ou cultuado. A violência é extrema, mas é também cartunesca e simbólica. A presença de atores como o próprio Carradine ou o veterano Sonny Chiba também tem seu significado. Mas mesmo sem conhecer nem um décimo das dezenas de citações dispersas por toda a obra, o espectador pode se divertir com um filme cheio de estilo, cenas arrebatadoras e ritmo ágil. O cinema se alimenta aqui do próprio cinema, e Tarantino com isto consolida seu nome como um dos principais criadores da Sétima Arte na atualidade.
“KillBill2.jpg” Kill Bill - Volume II A conclusão da sanguinolenta saga iniciada em Kill Bill Vol. 1 dá-se num registro bem diferente, parecendo mesmo tratar-se de um outro filme. Se na primeira parte o humor negro, as artes marciais e a sangria desatada deram o tom, agora a história da vingança da Noiva se conclui em clima dramático e intimista, com mais suspense e ritmo acentuadamente mais lento. Parece mesmo um faroeste-espaguete. Depois de ser enterrada viva por Budd (Michael Madsen, de Cães de Aluguel), conseguir escapar e, em seguida, liquidar a enlouquecida Elle Driver (Daryl Hannah, de A Casa dos Bebês), a Noiva (Uma Thurman, de Pagamento Final) finalmente descobre o paradeiro de Bill (David Carradine, da clássica série Kung-Fu) e até ele se dirige para finalmente liquidá-lo. Chegando ao local, porém, ela terá uma grande surpresa e descobrirá alguns fatos sobre seu passado. A enxurrada de referências à cultura pop se repete, tanto em imagens quanto em músicas, e os fãs da primeira parte se deleitarão com as brincadeiras típicas de Tarantino, cineasta que, com este díptico, retornou ao topo da produção norte-americana de relevância. É obra para ser vista e revista inúmeras vezes.
“Pulp.jpg” Pulp Fiction - Tempo de Violência Dois assassinos profissionais devem fazer cobrança para gôngster. Um deles é forçado a sair com a garota do chefe, temendo passar dos limites; enquanto isso, boxeador se mete em apuros por ganhar luta que devia perder. Homenagem à literatura pulp dos anos 1940. Palma de Ouro em Cannes e o Oscar de melhor roteiro.